SCTI-Secretaria de Estado da Ciência Tecnologia e Inovação

Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação

  1. Home
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Inovação e avanços tecnológicos...

Inovação e avanços tecnológicos são pauta da reunião de diretoria da Facisc

A reinvenção da economia de SC a partir da inovação e os avanços tecnológicos e a desburocratização na legalização de empresas foram os temas apresentados na reunião de Diretoria da Facisc (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina) e presidentes de Associações Empresariais realizada nesta quinta-feira, 21 de setembro, com a participação do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SCTI), Marcelo Fett, e do presidente da Junta Comercial do Estado de SC, Fernando Baldissera.

O presidente da Facisc, Sérgio Rodrigues Alves disse que o que os empresários querem agilidade dos processos para desenvolverem seus negócios. “A secretaria e a Jucesc vêm realizando um ótimo trabalho para contribuir para o desenvolvimento do estado, o bem estar da sociedade e o crescimento das nossas empresas e da economia como um todo”, opinou.

Para o secretário Marcelo Fett, a fórmula do sucesso é a soma do conhecimento, ambiente legal, desenvolvimento das pessoas, infraestrutura e capital. “Lançado em março, o Programa Santa Catarina Inovadora vem sendo implantado gradativamente no Estado. A grande mudança é que o Estado está colocando o setor produtivo no centro da estratégia do fomento de inovação”, destacou.

O Programa Santa Catarina Inovadora é um conjunto de ações estruturadas em sete áreas estratégicas para a reinvenção da economia em Santa Catarina. O secretário Fett também falou sobre o Programa de Aceleração da Inovação (PAI). As metas da SCTI são, que ao final e quatro anos, Santa Catarina consiga ultrapassar São Paulo como estado mais inovador do Brasil, ou seja, aumentar de 13 para 20 o número de startups por habitantes.

O presidente da Jucesc, Fernando Baldissera, destacou a agilidade na abertura das empresas. Até meados de 2015 eram cinco processos diferentes para abertura e alteração de empresas, documentações repetidas e longa espera. “Hoje nós somos 100% digital. Todos os documentos atualmente são feitos online”, falou.